Emagrecer rápido pode comprometer a saúde da coluna

Estima-se que um quinto da população esteja com excesso de peso e a tendência é que esse número aumente nas próximas décadas. Confrontando com esses dados, o sonho do corpo ideal é algo que influencia a cabeça de inúmeras pessoas, principalmente as mulheres.

Emagrecimento milagroso
São inúmeras as formas de emagrecimento e dietas milagrosas para a obtenção do dito corpo perfeito. Desde dietas hipocalóricas, medicações e até intervenções cirúrgicas como a bariátrica são utilizadas como ferramentas na eliminação rápida de peso.

Porém, estudos já apontaram que o emagrecimento rápido, sem a prática regular de exercícios físicos, pode levar a uma perda da massa muscular ao invés da gordura, trazendo inúmeros prejuízos à saúde.

A perda de peso e suas consequências
Com a eliminação da massa muscular, há gradativa redução da força, inclusive nos músculos ao redor da coluna, que perdem a capacidade de sustentação. Isso gera uma maior sobrecarga, o que pode acarretar em uma protrusão ou hérnia de disco, entre outros problemas.

A perda de massa magra atinge diretamente os músculos esqueléticos, que sustentam a coluna vertebral. Isso pode gerar dor.

Os diversos fatores envolvidos no emagrecimento
O emagrecimento depende de diversos fatores, tais como: idade, peso inicial, taxa metabólica, nível de estresse, atividade profissional e prática esportiva. O que faz que a mesma dieta e exercício físico repercuta de maneira diferente de pessoa para pessoa.

É importante ressaltar que além da perda de massa muscular rápida, outros nutrientes importantes para o organismos podem entrar em carência, como o cálcio e o magnésio, o que contribui para o enfraquecimento ósseo e a perda de sua densidade.

Fique no controle!
Com o emagrecimento rápido, a musculatura fica flácida e perde seu tônus de maneira generalizada. Por isso, durante a perda de peso é necessária a prática de exercícios de fortalecimento para a musculatura. Com a diminuição do tônus e redução de sua ativação, essa musculatura perde a consistência e se retrai, dificultando o alongamento muscular e a movimentação funcional. Esse desequilíbrio pode gerar a dor.

Por isso, é importante conciliar uma dieta adequada, acompanhada por um profissional qualificado, juntamente com a prática de exercícios físicos regulares, com controle das atividades, para também se evitar excessos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *